Tyger - Guilherme Marcondes - 2006


Animação merecidamente premiada em vários festivais. Visual, música, técnica. Tudo é alucinante.

Gênero: Animação
Diretor: Guilherme Marcondes
Duração: 5 min     Ano: 2006     Bitola: 35mm
País: Brasil     Local de Produção: SP
Cor: Colorido
Produção: Anna Angelica Olivares, Trattoria Digital Produções Ltda.
Fotografia: Pierre de Kerchove
Roteiro: Andrezza Valentin, Guilherme Marcondes
Edição: Guilherme Marcondes
Animação: Luciana Eguti, Paulo Muppet
Som: Paulo Beto
Direção de produção: Paula Madureira
Assistente de Produção: Caroline Alcarogi, Murillo Baskerville
Música: Zeroum

Melhor Animação no 37th Tampere International Short Film Festival em 2007
Melhor Animação no Ann Arbor Film Festival em 2006
Melhor Animação no CineSul em 2007
Melhor Animação no Curta Cinema em 2006
Melhor Animação no Festival Internacional de Curtas de São Paulo em 2006
Melhor Animação no Odense Film Festival em 2007
Melhor Animação - Júri Popular no CineSul em 2007
Melhor Curta no Anima 2007 em 2007
Melhor Filme no Anima Mundi em 2006
Melhor Filme no Clerrmont-Ferrand Film Festival em 2007
Menção Honrosa no Clerrmont-Ferrand Film Festival em 2007
Prêmio Porta Curtas no Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema em 2006

Assistir Tyger on line


TeleCineBrasil é exibidor do Porta Curtas.


O Tigre ("The Tiger") William Blake
Tradução de Ângelo Monteiro


Tigre, tigre que flamejas
Nas florestas da noite.
Que mão que olho imortal
Se atreveu a plasmar tua terrível simetria ?

Em que longínquo abismo, em que remotos céus
Ardeu o fogo de teus olhos ?
Sobre que asas se atreveu a ascender ?
Que mão teve a ousadia de capturá-lo ?
Que espada, que astúcia foi capaz de urdir
As fibras do teu coração ?

E quando teu coração começou a bater,
Que mão, que espantosos pés
Puderam arrancar-te da profunda caverna,
Para trazer-te aqui ?
Que martelo te forjou ? Que cadeia ?
Que bigorna te bateu ? Que poderosa mordaça
Pôde conter teus pavorosos terrores ?

Quando os astros lançaram os seus dardos,
E regaram de lágrimas os céus,
Sorriu Ele ao ver sua criação ?
Quem deu vida ao cordeiro também te criou ?

Tigre, tigre, que flamejas
Nas florestas da noite.
Que mão, que olho imortal
Se atreveu a plasmar tua terrível simetria ?

Leia. Pense. Divulgue. Participe.

Um comentário:

  1. Apesar de não entender a fundo de cinema e filmes, esse curta de animação é muito intenso, e passa a ideia que William Blake mostra no poema "The Tiger". Uma cena que me chamou atenção foi quando o tigre começa a andar nas ruas, juntos aos carros, e eles se transformam em lesmas, refletindo a ideia do quão somos inferiores a um tigre e a natureza em geral.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...