Die freudlose Gasse - Joyless Street - Rua das Lágrimas - Greta Garbo - Georg Wilhelm Pabst - 1925

Uma obra na fronteira entre o expressionismo e o novo realismo que então surgia. Rua das Lágrimas por Georg Wilhelm Pabst é exatamente isso.

Uma obra realmente nova, provocante e ambígua que desfruta de prestígio entre os espectadores atuais, mas na época o filme sofreu inúmeros cortes e acabou mutilado. Foi a obra mais censurada da então "República de Weimar".

Com o passar dos anos surgiram várias versões em diferentes países, mas todas eram incompletas.



 
Nos tempos atuais o filme de Pabst é uma importante visão histórica das classes sociais no pós-guerra em Viena e também - talvez o mais marcante - uma perspectiva única sobre os indivíduos dentro da miséria social.

Mostra a exploração do desespero e a manipulação, onde falsos rumores destroem os pobres e despertam os ricos.

Vemos na tela a jovem Greta Garbo - 19 anos na época - que ainda nem sonha em ser uma rainha da MGM. Sua personagem é uma menina pobre que enfrenta a miséria em seu dia a dia. Um papel secundário e uma atuação impecável.

Tenha em mente que a obra vai muito além da atuação magistral de Garbo. É uma exceção na história do cinema, seja por seu conteúdo psicológico ou por estar na fronteira do expressionista e realista, além da "incorreção política" e até por suas várias versões resultantes das diferentes tentativas de preservação.


Mais Greta Garbo.


Die freudlose Gasse - Joyless Street - Rua das Lágrimas - Greta Garbo - Georg Wilhelm Pabst - 1925

Um comentário:

  1. Muito curiosa para assistir este filme, uma vez que Greta tinha minha idade nessa época!
    Abraços!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...