The General - Buster Keaton - 1926



O filme é um clássico feito já no fim da era silenciosa e quando foi lançado além de receber muitas críticas negativas teve um fraco resultado de bilheteira - em torno de meio milhão de dólares no mercado estadunidense e mais um milhão no resto do mundo ao custo de setecentos e cinquenta mil dólares - mas atualmente é considerado um dos maiores filmes já feitos.

Em 1956 o filme entrou no domínio público nos EUA devido a uma falha do reclamante ao tentar renovar seu registro de direitos autorais.

Para fazer este filme Keaton realizou perigosas acrobacias no trem em movimento, incluindo saltar da locomotiva para um vagão e sentar em uma das hastes que conectam os vagões.



 
O clímax inclui um momento espetacular, onde uma ponte cai quando um trem atravessa. Os olhares de choque nos rostos dos atores eram reais pois eles não sabiam que isso iria acontecer. Essa foi a cena mais cara de toda a era do cinema mudo. Depois da filmagem a produção deixou os destroços no leito do rio - inclusive a locomotiva - que se tornou uma espécie de atração turística que durou até a II Guerra, quando finalmente o metal do trem foi para a sucata.

Buster Keaton sempre disse que este era o seu filme favorito.

Uma curiosidade é que o Boris Karlof atuou no filme mas seu nome não foi incluído nos créditos. 

Ficha técnica 

Título original: The General
Origem / Ano: EUA / 1926

Duração: 78 min 52 seg

Elenco
Marion Mack ... Annabelle Lee
Glen Cavender ... Capitão Anderson
Jim Farley ... General Thatcher
Frederick Vroom ... General Sulista
Charles Henry Smith ... Pai de Annabelle
Frank Barnes ... Irmão de Annabelle
Joe Keaton ... General Nortista
Mike Donlin ... General Nortista
Tom Nawn ... General Notista

Our Gang War Feathers - Os Batutinhas - 1926

Os Batutinhas
Our Gang chamado também de The Little Rascals e ainda Hal Roach's Rascals é uma série de curta-metragens que conta a história de uma turminha de crianças. Criada por Hal Roach, a série foi produzida em seu próprio estúdio desde 1922, quando era distribuído pela Pathé. Em 1927 a distribuição passou para a Metro Goldwyn Mayer e continuou a produzi-la até 1938 quando finalmente a MGM comprou os direitos da série que foi produzida até 1944.

Em meados dos anos 50 a produtora de Hal Roach fez novos episódios para a televisão, agora com o nome The Little Rascals pois a MGM era detentora dos direitos sobre Our Gang.

O mais interessante de Our Gang é juntar meninos e meninas, brancos e negros, no mesmo grupo e em total igualdade. No Brasil a série recebeu o nome de Os Batutinhas.

War Feathers começa em uma viagem de trem onde as crianças fazem um jogo de cowboys e índios. Durante uma parada em Red Dog, eles desembarcam e começa a confusão entre índios de mentira, índios de verdade bandidos, mocinhos e a invencível turminha.

Ficha técnica

Título original: Our Gang War Feathers
Origem / Ano: EUA / 1926
Preto e branco
Sem som
Duração: 19 minutos

Elenco


Peggy Ahearn
Chet Brandenburg   ...   Rancheiro
Allan Cavan    ....    Passageiro no trem
Joe Cobb    ....    Joe
Jackie Condon
Johnny Downs
George B. French    ....    Rancheiro
Allen 'Farina' Hoskins    ....    Farina
Jannie Hoskins   ...   Mango
Ham Kinsey   ...   Condutor
Mildred Kornman
Scooter Lowry
Sam Lufkin    ....    Xerife
Jay R. Smith



Assistir Our Gang War Feathers - Os Batutinhas - on line


Our Gang - War Feathers - 1926 por Telecinebrasil  no Videolog.tv.



Le Manoir du Diable - The Haunted Castle - Georges Méliès - 1896

La Manoir du Diable foi lançado na véspera do natal de 1896, no Teatro Robert Houdin em Paris. O seu criador pretendia que fosse divertido mas a maioria das pessoas, na época, consideraram um filme de terror. Foi um dos primeiros filmes de George Melies.

Vale ser assistido especialmente por quem tem interesse em saber mais sobre a história da arte cinematográfica.

A película mostra um morcego em um antigo castelo que transforma-se em Mefistófeles. Este evoca várias criaturas sobrenaturais. Visto com a compreensão de hoje das convenções do cinema, -lo como terror é impossível, porém, para a audiência do final do século XIX assim parecia.

É um curta-metragem muito interessante e inteligente, principalmente ao considerar o nível de tecnologia disponível à época.


Ficha técnica

Título original: La Manoir du Diable
Origem / Ano: França / 1896
Diretores: Georges Méliès
Roteiro: Georges Méliès
Duração: 3 min 18 seg

Elenco

Jeanne d'Alcy
Georges Méliès




Assistir La Manoir du Diable - The Haunted Castle on line



Caicedo (with pole) - Thomas Edson Laboratory - 1894


 

Em um quintal cercado uma câmera filma Juan Caicedo de perfil em uma corda. Segurando uma vara enquanto salta Juan faz várias piruetas.

Mais uma postagem realizada pelo valor histórico pois sáo poucos segundos que foram filmados em 25 de julho de 1894.

Ficha técnica

Malabarista: Juan A. Caicedo
Duração: 27 segundos

O Último dos Moicanos - Last of the Mohicans - Clarence Brown - Maurice Tourneur - 1920

Se você comparar este filme de aventura com outros filmes mudos perceberá que é um dos melhores. Tanto a história quanto a produção são excelentes.

Considerando ser um filme de 1920 é muito bem elaborado e complexo.  Realista e com bonitas imagens. Muitas das cenas ao ar livre são obras de arte. As cenas nas montanhas são lindas. Direção perfeita.

Em alguns momentos o filme pode parecer bastante ofensivo - quando se refere aos índios de selvagens - especialmente diante dessa onda chatíssima do politicamente correto de nosso dias.

Ficha técnica

Título original: Last of the Mohicans
Origem / Ano: EUA / 1920
Preto e branco
Sem som
Duração: 1 hora e 11 minutos


 

Elenco


Wallace Beery...   Magua

Barbara Bedford... Cora Munro

Alan Roscoe... Uncas (as Albert Roscoe)

Lillian Hall... Alice Munro

Henry Woodward... Major Heyward

James Gordon... Coronel Munro

George Hackathorne... Capitão Randolph

Nelson McDowell... David Gamut

Harry Lorraine... Hawkeye

Theodore Lorch... Chingachgook

Jack McDonald... Tamenund

Sydney Deane... General Webb

Joseph Singleton... Personagem indeterminado
Boris Karloff... Índio

Chief Tahachee... Mohawk

Assistir O Último dos Moicanos - Last of the Mohicans - on line




O mestre do terror Boris Karloff participa desse filme no papel de um índio não tendo seu nome incluído nos créditos finais. Filme histórico, imperdível para quem gosta de ver como foi o primeiro cinema.

Wolf Blood A tale of the forest - George Chesebro - Bruce M. Mitchell - 1925


A história é muito mais um romance do que terror, contudo, o lobisomem que a torna interessante.

Mostra duas madeireiras rivais sendo Dick Bannister, interpretado por George Chesebro, o cabeça de uma delas. Quando a empresa rival inicia a construção de uma barragem Bannister resolve confronta-los e acaba ferido, sendo salvo pelo cirurgião e levado para uma cabana, onde o dono se recusa a doar seu sangue para uma transfusão para salvar Bannister. Ele sugere que seja usado o sangue de uma loba, o que é feito e acaba salvando Bannister.

 

Quando a história da transfusão vai a público seus empregados começam a teme-lo dizendo que ele não é mais humano, mas uma espécie de homem-besta.

O próprio Bannister também começa a acreditar nisso, especialmente depois que o chefe da madeireira rival é dilacerado por uma alcatéia. Ele começa enlouquecer e tem alucinações de que é parte de alcatéia de lobos fantasmas que atravessam os bosques próximos.

 


Esse foi o único filme que George Chesebro dirigiu (na verdade uma co-direção), tendo atuado em mais de quatrocentas obras. Ele tem um bom desempenho e o resultado é muito bom. As atuações são típicas desse período da história do cinema - melodramática e exagerada. Especial destaque para os últimos dez minutos que são particularmente memoráveis.


Não tenho notícia de nenhum filme de lobisomem anterior a este. Mais um pedaço da história do cinema que certamente muitos ainda não conhecem.



Ficha técnica

Título original: Wolf Blood
Origem / Ano: EUA / 1925
Preto e branco
Sem som
Duração: 67 minutos

  Elenco





Making A Living (Carlitos Repórter) - Charles Chaplin - 1914

Charles Chaplin em seu primeiro filme
Esse foi o primeiro filme de Charles Chaplin, cujo personagem Carlitos, ainda não tinha o visual pelo qual se imortalizou. Neste filme ele usa um chapéu alto, casaco claro e um bigode caído. Parece um pouco decadente mas em nada lembra um mendigo.

Lançado em 2 de fevereiro de 1914, foi o primeiro de uma série que serviu, entre outras coisas, para formatar o personagem.

A produção é modesta, assim como todos as inúmeras outras feitas durante o tempo que Chaplin era contratado pela Keystone Film Company


Sinopse

Um vigarista aceita um emprego como repórter. Ao presenciar um acidente onde um carro passa por cima de um penhasco ele pega uma câmera do outro repórter e corre para o jornal para tentar passar as fotos como se fossem suas.
Ficha técnica

Origem / Ano: EUA / 1914            
Diretor: Henry Lehrman
Roteiro: Reed Heustis
Preto e branco
Sem som
Duração: 8 min 50 seg

Elenco

Charles Chaplin ... Vagabundo
Virginia Kirtley ... Filha
Alice Davenport ... Mãe
Henry Lehrman ... Reporter








Assistir Making A Living (Carlitos Repórter) de Charles Chaplin on line




Esse foi mais um dos filmes de domínio público bloqueados e retirados do blog sob alegação de desrespeito aos direitos autorais


Nós, que temos blogs e somos, de certa forma, a alternativa de acesso a cultura gratuita, de qualidade e sem os filtros da grande mídia, temos que divulgar (cada vez mais) as ameaças à liberdade de expressão.

Leia. Pense. Divulgue. Participe.






























Bliss - Harold Lloyd - 1917

Harold ao conhecer uma menina bonita (Bebe Daniels) e ser convidado para ir a sua casa, descobre que o pai da moça está tentando escolher um marido para ela. O rapaz é confundido com um nobre. E acaba se casando.
 
Trata-se de uma comédia agradável, mas certamente não é o melhor de Harold Lloyd. Como foi restaurado faz alguns (poucos) anos, aqui está. Tenho quase certeza que está faltando algumas cenas, mas não consegui confirmar isso.

Bom divertimento.


Título original: Bliss
Origem / Ano: EUA / 1917
Roteiro: H.M. Walke
Preto e branco
Sem som
Duração: 4 min 46 seg



Elenco
 
Harold Lloyd    ....    Harold
'Snub' Pollard    ....    Snub (Harry Pollard)
Bebe Daniels    ....    A garota
William Gillespie    ....    Policial / violinista
Assistir on line:












Alice in Wonderland - W. W. Young - 1915

O filme original desapareceu porém  pelo menos duas versões incompletas sobreviveram, ambas com duração em torno de cinquenta minutos, o original tinha aproximadamente uma hora de duração.

No mínimo falta a cena no início da história - em que Alice cresce - e mais tarde a cena do Chapeleiro Maluco. Estas cenas aparecem no livro de Grosset & Dunlap publicado em 1916, ilustrado com fotos do filme.
Viola Savoy, que faz Alice, tinha quinze anos na época, era uma jovem atriz conhecida por ter percorrido os EUA durante vários anos com a versão road show "The Littlest Rebel". Após o Alice ela apareceu em mais dois filmes e desapareceu, tendo falecido em 1987 aos 87 anos.
A indústria do cinema era ainda muito jovem. A noção de "close-up" da fotografia estava apenas começando a ser experimentadas e mais frequentemente, a câmera ficava em posição fixa, como se fosse alguém sentado na platéia de uma peça de teatro.

Notável a criatividade no figurino definido para este filme, a câmera, contudo, mantém a sua falta de imaginação. Tudo é filmado à distância e muitas vezes há muita coisa acontecendo simultaneamente, e as características mais sutis, não podem ser vistas.

A expressão facial, como na maioria das filmagens do primeiro cinema, têm uma qualidade forçada e exagerada. Ainda assim, é um filme cativante, muito bom de se ver.

Título original: Alice in the Wonderland
Origem / Ano: EUA / 1915
Diretor: W.W. Young
Preto e branco
Sem som
Duração: 52 minutos


Elenco

Alice   ...   Viola Savoy
Coelho Branco   ...   Herbert Rice

Se alguém tiver mais informações, especialmente do elenco, manda que eu coloco aqui.

Assistir on line

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...